quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Eu e meus sentimentos aleatórios...

Estive por aí na net, dando uma olhadinha em alguns blogs e vi que vááááárias pessoas fizeram uma homenagem aos seus pais no dia 10...
Eu não fiz! *0*
Não fiz por alguns motivos:
1º. Não entrei na net akele dia;
2º. Não estava (nem estou) falando com ele;
3º. Não estava nem em casa akele dia (o que não significa que eu não tenha o visto)

Antes que me perguntem, Não, eu também não lhe desejei “feliz dia dos pais”.
Sei que pode ser muito ruim para um pai não receber da filha um parabéns que seja, mas tenho meus motivos, que agora contarei a todos vocês...
Nunca falei muito da minha vida aki, né?
Aliás, nunca falei nada que denunciasse qualquer sinal da minha vida pessoal familiar; mas hoje resolvi abrir meu coração e falar um pouco sobre isso, acho que já tá na hora de vocês me conhecerem melhor e talvez até entendam essa melancolia toda que transformo em palavras e textos...

Bom... (puta que pariu! Eu não sei por onde começar!)
Meu pai tem um problema, ele sofre de alcoolismo e não pára (por falta de vergonha na cara) de jeito nenhum.
Ele sempre bebeu, mas eu sempre gostei muito dele porque ele sempre foi um cara muito legal, engraçado e brincalhão; e quando bebia ficava ainda mais divertido : DD.
Mas aos poucos as coisas mudaram, minha mãe deixou de gostar dele não queria mais continuar “casada” (eles não se casaram, só se juntaram.), mas ele ainda a “ama” (isso não é amor, é doença), ele não aceitou a separação, ela parou de dormir no quarto com ele (foi para o quarto meu e de minhas irmãs) e começou a traí-lo (isso mesmo, sem sexo e muito chifre) e ele “mudou” seu jeito de ser...
Mudou entre aspas pq quando ele está são sem uma gota de álcool no sangue, ele é o mesmo (ou quase) que sempre foi, mas tudo, toda a perfeição, se vai embora, se esvai por entre os dedos quando ele vai lá e bebe...
Pode ser qualquer tipo de bebida, o inferno começa quando ele a coloca na boca...
Não. Não estou exagerando.
Ele simplesmente se transforma! De cordeiro a lobo em apenas um copo de cerveja!
Vocês precisam ver (é assustador)!
Sei que vocês não vão acreditar no que vou dizer agora, mas parece que entra algum espírito ruim nele (não ria de mim, é sério.), gente, ele começa a falar sozinho (falar não, resmungar) coisas horríveis (puxa, já to com vontade de chorar), ele diz coisas que dariam medo no sr. José Mojica Martins (vugo Zé do Caixão)...
Não estou mentindo!! E tenho minha amiga Tammy que não me deixa mentir (ela não presenciou tudo, mas o pouco que viu já a deixa assustada.)
Voltando, ele diz coisas horríveis diz que vai matá-la, (se você tem estômago fraco, não leia as frases a seguir) que vai degolá-la como se faz com uma galinha... que é pra ela tomar cuidado quando dorme, pois qualquer dia pode não acordar... que vai beber seu sangue... (isso mesmo que você leu! se é que você leu.) e por aí vai... sempre piorando...
Falando sozinho (ou com alguma coisa que não podemos ver) ele resmunga, amaldiçoa, jura de morte, qualquer coisa do tipo (não sei explicar).
Isso sem falar nos palavrões (puta, vadia, piranha etc.) que ele xinga minha mãe, e minha irmã...


Há mais ou menos 3 anos eu convivo com esse inferno dentro da minha casa, essa dualidade, essa falta de respeito para com a família e com os vizinhos...
Agora ele pode estar limpo de bebidas, feliz e alegre...
Aí ele sai e volta meia hora depois, bêbado e infernizando nossas vidas...
De manhã ele diz que vai embora de casa (quem dera) pq não quer mais morar conosco;
De noite ele diz que vai ficar com agente e vai infernizar a vida da minha mãe até o ultimo dia da vida dela;
De manhã, calado;
De noite, juras de morte.
De manhã, pai;
De noite, odeia as próprias filhas por defenderem a mãe.
De noite, ele diz que só vai sossegar quando a ver no caixão,
De noite ele odeia minha irmã (ele a odeia) por ser respondona e “vadia” como a minha mãe (nas palavras dele)
De noite agente não consegue dormir
Sempre de noite...
Tenho medo da noite...
Tenho medo do escuro...
Tenho medo de perder a coisa mais importante pra mim...
De perder meu porto seguro...
Tenho medo de que no meio de uma noite qualquer eu possa perder minha mãe...
Sempre de noite...

Teve uma vez que ele tentou matá-la...
Teve uma vez que ele ligou o gás e deixou-o ligado querendo explodir tudo...
Teve uma vez que ele ia dar um murro (pense, um MURRO!!!) na minha irmã, e eu tive que empurra-lo e derruba-lo no chão...
Teve uma vez que ele pegou uma faca e foi atrás da minha mãe pela noite afora...
Teve um monte de vezes que ele atormentou nossas vidas...
Teve um monte de vezes que acordei a noite, mas fiquei deitada de olho fechado só
escutando ele resmungar...
Teve um monte de vezes que ele levantou no meio da noite abriu a porta do quarto e ficou lá olhando minha mãe dormir... (pois é... eu estava acordada... lá quietinha, de guarda)
E no dia seguinte?
Ah, no dia seguinte, ele não fala nada faz de conta que nada aconteceu...
Ah... já esqueceu? Parece que bebe, meu!!
Pois eu não esqueço não, tá tudo aki guardadinho, cada palavra de terror, cada noite que eu e minhas irmãs não dormimos velando o sono da minha mãe pra que nada pudesse acontecer com ela, cada sensação de medo que tive...
Então a quase mesma coisa de sempre aconteceu, quase, porque houveram diferenças akele dia 09 de agosto, véspera de dia dos pais...
Almoçamos na casa Tammy akele dia, eu, minha irmã mais nova e um amigo nosso, o Gabriel...
Tava garoando quando saímos da casa dela, íamos ao shopping mas primeiro eu tinha que deixar minha irmã em casa, o Gabriel não ia ao shopping, mas foi com agente até a minha casa (já que ele mora perto de mim) falei pra ele subir, pra não esperar na chuva;
Ele subiu também, sentou no pufe roxo no meio da sala enquanto esperavam, eu não sabia, mas meu pai estava em casa, no quarto dele, ele (o desgramado) escutou a voz de homem e foi correndo ver quem era, (já tava com a cara cheia de pinga) começou a xingar meu amigo, me xingou de um monte de coisas (já dá pra imaginar do que, né?) disse que eu levava os homens pra dentro de casa quando ele não estava, que era igual minha mãe (quem dera) e expulsou meu amigo...
Me ridicularizou...
Me humilhou na frente dos meus amigos...
Comecei a discutir com ele, saí e deixei ele falando sozinho...
Depois disso não falei mais com ele...
Minha mãe não estava em casa, se estivesse teria me ajudado a me defender dakele troglodita.

Minha mãe não estava em casa, mas ele conseguiu o que queria, que era descontar sua raiva em alguém já que seu alvo principal não estava lá...
Tomei a decisão de não falar mais com ele, enquanto ele não tomasse um gole de vergonha na cara e não parasse de beber... e não parasse de perturbar as nossas vidas...
De nada adiantou...
No dia dos pais, ele chegou bêbado em casa eu estava cochilando no sofá mas acordei quando ele chegou, fingi que dormia, e ouvi ele resmungar com o seu demônio:
“Dorme aí vadiazinha, pode dormir um dia vc vai precisar de mim, sua filha da puta vc merece morrer! Vc é igualzinha a sua mãe! Piranha” (sabem de que que eu lembro quando o vejo assim? Do Sméagol do senhor do anéis, falando sozinho e resmungando consigo mesmo – só que não é engraçado)
Até hoje não parou...
Por isso não falo com ele,
Por isso não dei presentes,
Por isso não falei...
“PARABÉNS PAPAI!!!”

Agora vocês sabem um pouco de mim, sabem um pouco da minha “família”
Obrigada por terem lido (ou não) isso aki...
Daki a alguns dias excluo essa postagem mesmo...



BJUXXX
Vcs todos são como anjos me dando a maior força aaammmoooo vocês.

6 comentários:

bruna. disse...

CARVALHOOOOO

\o/

AVESSOS disse...

poxa !!! legal o que voce escreveu nao apaga nao

Tatah Marley's Confissões disse...

Sabe, eu nao vou dizer que entendo sua situação pqe graças a Deus, não passo.. mais tenho muitas amigas que se enquadram aí.. tem uma que o proprio pai violentou, e a mãe SABE disso e tá com ele até hoje, embora ele tenha 'mudado' um pouco.
É um comportamento muito covarde quando se trata do cara que te pôs no mundo, mais é necessario entender tbm que vicio, principalmente alcóolico é uma doença, e precisa ser tratada. Entao, nestes momentos, ele nao responde pelos seus atos sabe, não tem muito o que fazer com um cara que age sem pensar entende?
Omelhor que voces podiam tentar fazer é sair de casa, as tres.. talvez assim ele perceba a familia maravilhosa que tá perdendo e tente de uma vez por todas dar a volta por cima!
Meu tio é alcoolatra, e admito que ele tá matando minha vó aos poucos.. Já tentamos de tudo, ele já passou por 14 internações e nao parou até hoje..
Chegamos a coclusao de que nao vale a pena nos matarmos junto com el.. quer morrer? Morre sozinho!
nfelismente é uma decisao ruim, mais necessaria, e talvez vces tenham que fazer isso tbm..!
beeeijo, e fca bem!
Conta cmg flor, estou a um clique de distancia!
;*

Mandy disse...

huahuahuau

É sim, isso q dar ser bicho!!!!

^^

Acabei de postar amore, se puder passa lá no blog depois...

BjO.

Mandy disse...

Tava lendo seu post... Deve ser ruim passar por uma situação dessas, mas será q nem vc conversando com ele, ele decide se tratar msm???
Flor se precisar de alguma coisa, pode contar comigo ta!!!!

Espero q td fique bem com vc e sua família logo!!!

BjO.

Flaah :) disse...

Abri a janela de comentários logo na primeira linha, pois vi que a coisa era longa.
Não conheço seu pai, mas pense que pode não ser por falta de vergonha na cara. Tenho caso bem próximo de alcoolismo, e por mais que todos achem que é "falta de vergonha na cara", é pura falta de conseguir. Muitas vezes, o alcool traz a pessoa algo que ela não tem, não consegue, que ela não sente. Pode ter sido um sentimento que ele teve na infância que o levou ao vício. Uma derrota, por menor que seja, que lhe fez beber para se sentir melhor. Uma raiva constante que só melhora quando ele ingere a bebida. Na maioria das vezes, os alcoolicos com motivos são injustamente acusados. São casos e casos. Não tenho nenhum conhecimento sobre seu pai para falar, só um comentário.
Li a segunda parte: Poxa, você é madura. Não é fácil aguentar isso vindo de um pai. Acabo de vê-lo como vilão (me desculpe).
Realmente, seu pai se transforma. Viviane, vocês tem que resolver isso. Não sei qual seria a melhor forma, mas tem que resolver. Seja com um psicólogo familiar durante o dia, enquanto ele está sóbrio, com todo mundo junto. Você, e sua irmã, que é ainda mais nova e está formando a cabeça dela, não podem passar por isso.
Não, o caso do seu pai não se parece com um dos que citei acima. Mas o único que sabe é ele, ou nem mesmo ele sabe.
Procurem ajuda, não passem por isso. Sua mãe corre risco de vida, e até mesmo vocês duas. Sua irmã tem nove anos, certo? Então, é muita coisa para alguém com essa idade. Até mesmo alguém mais velho como você, ou sua mãe. Por favor, façam algo. Jesus, estou agoniada aqui x.x
Desculpe.