quinta-feira, 2 de abril de 2009

Ausência.

... E agora, nesse momento, estou aqui como alguém que perdeu algo que não poderia jamais perder...
...Abraçada á camiseta que você usou na última vez em que estivemos juntos, sinto o seu perfume, um perfume que me remete á lembranças doces e perfeitas, do tipo que nunca se esquece...
...Estou me sentindo como uma criança, o medo que toma conta do meu ser é quase inexplicavel...
...É o medo do novo...
...Medo de que dê tudo errado...
...Medo de ser esquecida...
...E esse perfume -o seu perfume- acentua ainda mais essa sensação; E torna ainda mais forte esse medo de perder...
...Talvez algo dentro de mim esteja agora, me dizendo que não há mais nada além dessa camiseta surrada...
...Talvez não tenha sobrado nada de você, nada além de um perfume numa camiseta velha que você usou na noite passada...
...E eu sei que chegará um dia, que a noite passada não será nada além de uma noite, a última noite em que eu dormi com um namorado que eu amava muito...
...Talvez haja um diaem que não sobrará nada nem esse perfume delicioso ou até mesmo esta camiseta, na qual eu me apego fielmente como um cão que se apega ao seu dono...
...E talvez eu tenha medo disso, mdeo de que essa sensação maravilhosa de quando estou ao seu lado se acabe e não me reste mais nada...
...Tenho medo de que tudo se acabe, tenho medo de que a saudade enorme que sinto e que inda sentirei por você me obrigue a ter que esquecer você e cada coisa que possa longemente me levar a você ...
...Tenho medo de me sentir obrigada a não cantarolar nossas músicas...
...A esquecer fatos...
...A queimar cartas...
...A esconder fotos...
...Tudo isso apenas para não ter que sofrer ainda mais com a sua ausência, essa porcaria de ausência corrosiva
e ilimitada que não se cansa de me maltratar...
...Não quero me acostumar com essa abstinência louca que a falta de você me traz...
...não quero me acostumar a viver sem você...
.
.
.
E com apenas um perfume numa camiseta...

Um comentário:

Vinícius Aguiar disse...

Sentimentos não se prendem as coisas... isso eu aprendi! Se é amor, ele sempre vai estar lá, presente, embora não existam mais camisetas, perfumes, fotos ou cartas... por isso o amor é tão complexo!

Beijos!