domingo, 19 de abril de 2009

A grande teia

Os fatos vão se interligando, tecendo uma teia da qual ela não ousava mais escapar.
Não escapa.
Não foge.
Ela sabe que está numa teia, mas não tem medo, acha que teias são sempre teias, sempre tem um risco a correr...
E ela lá, parada.
Não corre, nem se assusta.
Apenas se aconchega lentamente nessa teia de fatos inebriantes e inconstantes...
Apenas aguarda para, que as lembranças venham sufocá -la de lágrimas e saudades.
Espera deitadinha na teia que sem querer ela criou, na esperança de que seus riscos e suas lágrimas se pareçam com os doces sonhos que um dia ela viveu...



Quando uma acaba.
é assim que se inicia outra história...

3 comentários:

Juliano disse...

Teus textos são profundos, e isso é bom !

bjoooos

Ariana disse...

Mto lindo o seu texto!
Bem profundo!

bjo

Náhira Brunelle disse...

É necessário correr riscos, para viver uma grande história e contruir uma teia maior ainda!

Adorei seu blog!
bjO