domingo, 4 de abril de 2010

Nas margens do rio eu sentei e chorei...

Nas margens do rio, eu sentei e chorei...
Chorei, distante e sozinha de tudo que talvez pudesse me acalentar.
Chorei sem pensar, apenas a sentir tudo o que a vida não  conseguiu suprir...
E então, num momento com este, em que os olhos são só inchaço e o coração despedaçado já consegue respirar melhor; me vem à cabeça diversas palavras que a muito tempo meu coração não conseguiu falar...


As palavras me voltaram à mente, como algo fielmente adestrado, como o filho que volta para os braços de seus pais.
Me vieram timidas, sem graça, sem saber se são bem vindas, esperando pelo "pode entrar".
Durante tempos eu sofri, calada, moída de tanto sentimento que não conseguia sair.


Sentada nas margens do rio, só pude percber que tudo passa,
Passa porque a vida é um eterno ir e vir,
Mas eu sei, todos sabemos!
Qu assim como a dor se vai, ela pode voltar...
Assim, meio sem querer, querendo...

2 comentários:

Marina! disse...

aa ja passei por isso,sensação de q sua vida passou e vc nao viveu,mas na epoca era tudo flores e só depois vc percebe o quanto sofreu!
acontece né :)
e serve para a gente crescer!
visite meu cantinho! beijinhos ;*

carolina disse...

vivizinha sou sua fa te adoro muito e estou com saudades.
adoro tudo que escreve, o que desenha, o que diz, parabens por essa pessoa maravilhosa que vc e...
beijao.
carol (lan house)